Fácil e barata, a “pipoca” é indicada para a redução de peso e riscos das doenças crônicas

Thuanny Motta

A queridinha das sessões de cinema e das festas infantis ganhou um novo status: a pipoca entrou na lista de alimentos indicados para quem quer emagrecer ou manter o peso.

Fácil de fazer e barata, ela ainda tem diversas qualidades que ajudam a prevenir doenças e não é altamente calórica, tendo 375 calorias a cada 100 g.

A nutricionista Aline Araújo apresenta as principais vantagens do consumo.

“Por ser um cereal integral natural, auxilia no combate ao aumento do peso e na redução do risco de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares.

Também possui grande quantidade de fibras, por isso tende a melhorar o funcionamento intestinal, tanto na regularidade quanto na consistência das fezes, levando ao emagrecimento ou à redução de peso”, diz Aline.

Outra vantagem, de acordo com a nutricionista, é o amido presente no milho da pipoca.

Esse carboidrato chega inteiro ao aparelho digestório, impedindo que haja altas repentinas no nível de glicose. Nesse caso, a pipoca se torna uma ótima opção para as pessoas que estão no grupo de risco do diabetes tipo 2.

A gerente de marketing, Ana Cláudia Attié, 23, adotou a pipoca na sua dieta, especialmente antes de praticar exercícios físicos.

“Eu sempre gostei muito de pipoca e consegui unir o útil ao agradável.

Estava acostumada a consumir outros carboidratos em meus pré-treinos, que facilitam o ganho de peso, quando descobri que a pipoca poderia ser uma ótima substituta por ajudar no emagrecimento e me oferecer a energia necessária para os exercícios”, garante.

Ela também revela que, apesar de sua dieta mudar de dois em dois meses, sempre procura incluir a pipoca.

E os resultados são tão satisfatórios que ela passou a indicar para amigos e familiares.

“As pessoas mais próximas ficaram curiosas. Então, comecei a explicar os benefícios, dando dicas de sabores e como preparar da melhor forma.

Algumas amigas já conseguiram ver a diferença até na balança”, diz Ana Cláudia.

Vale ressaltar que, além de ter o acompanhamento de um especialista, quem quiser incluir a pipoca na dieta não pode deixar de lado outros fatores, já que nenhum alimento dá resultado sozinho.

“As vantagens da pipoca como alimento são inúmeras. Por exemplo, ela pode até conter mais antioxidantes do que algumas frutas e vegetais, no entanto não é suficiente sozinha.

A dieta, para ter resultado, deve ser feita em conjunto com uma alimentação saudável e equilibrada, uma vez que as pipocas não têm vitaminas nem nutrientes vitais”, frisa Aline.

Preparo. O segredo para conseguir uma boa pipoca está em seu modo de preparo. A especialista comenta que os principais instrumentos utilizados são a panela, a pipoqueira e o micro-ondas.

A opção mais saudável é a pipoqueira elétrica, por não utilizar óleo, manteiga ou margarina.

Na panela comum, o ideal é usar azeite, por ser menos calórico do que as outras opções.

Já o micro-ondas é o menos indicado, principalmente pela grande quantidade de sódio contida nas pipocas industrializadas.

Pura. Para preservar as qualidades da pipoca, ela deve ser ingerida sem ingredientes adicionais.

Colocar sal, açúcar ou coberturas pode reduzir os benefícios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s