Delator da Odebrecht cita pagamento de mais R$ 4 mi por fundo do FGTS

Folha

O ex-diretor de Infraestrutura da Odebrecht Benedicto Júnior, o BJ, disse em sua delação premiada que, em 2011, a companhia baiana pagou R$ 4 milhões a André Luiz de Souza, ex-conselheiro do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS).

A contrapartida ao pagamento era o fundo investir no Porto Maravilha, obra de revitalização urbana da região portuária do Rio de Janeiro.

A Odebrecht é uma das empresas concessionárias das obras do porto, junto com OAS e Carioca Engenharia.

Após o pagamento feito pela Odebrecht a Souza, o Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha (FII PM), administrado pela Caixa e abastecido com dinheiro do FI-FGTS, comprou R$ 3,5 bilhões em Cepac, certificado lançado pela prefeitura do Rio para capitalizar as obras da região.

Esta é a quarta delação da Odebrecht em que André de Souza é citado. No total, segundo os delatores, ele já recebeu R$ 28,5 milhões da Odebrecht.

Todos os casos foram revelados pela Folha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s