Instituto Lula fez opção preferencial por receber dinheiro do “caixa 2”

Claudio Humberto – http://zip.net/btrhJf

Após o governo Lula, o plano de Marcelo Odebrecht e Antonio Palocci era doar o “saldo” da conta do PT na empreiteira ao Instituto Lula para que o ex-presidente e Paulo Okamoto controlassem o propinoduto.

Mas, envergonhado de oficializar a relação íntima com a Odebrecht, Lula nunca aceitou receber os R$ 35 milhões de maneira legal.

“Eles não queriam explicitar o que deveriam explicitar”, explicou Marcelo.

No termo de colaboração premiada, Marcelo Odebrecht explica a relação com Lula: “Acabou pedindo de maneira informal, por Caixa 2”.

O “pessoal” do Instituto Lula, como define Marcelo Odebrecht, “ficava desconfortável de receber uma doação grande”.

Odebrecht explica o alto valor acertado para o Instituto Lula: “tinha a referência do Instituto FHC…foi algo em torno de R$ 40 milhões.”

Em 2002, o valor declarado pelo iFHC era de R$ 7 a R$10 milhões doados por um total de 12 empresas; a maior parte empreiteiras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s