No atentado de Londres policiais são aplaudidos, ao contrário do Brasil onde seriam acusados

Do editor

No recente ato terrorista de Londres a Polícia recebeu, no dia seguinte, o aplauso da população, pela rapidez com que agiu na repressão à violência.

O saldo da ação policial apontou a morte, oito minutos após a chegada ao local, dos três terroristas que causaram o incidente.

A Polícia disparou tiros e alguns projéteis atingiram transeuntes.

Se fosse no Brasil?

Talvez, já tivesse sido instaurado um inquérito para apurar o abuso dos policiais, por causar três mortes e ferir pessoas.

Basta recordar, às TVs nacionais, repetindo recentemente várias vezes ao dia, a cena de um policial atirando em marginal, sem considerar que se realizava uma operação em favela carioca, com os criminosos fortemente armados e atirando a ermo.

Em Goiás, um policial atingiu um cidadão, quando reprimia ações de vândalos, que agiam a pretexto de manifestação política, depredando bens públicos.

Sem apurar se o manifestante ferido agia com excessos ou não, a senadora Fátima Bezerra do RN foi à Goiânia protestar contra os policiais, qualificando-os de agressores impiedosos e pedindo punição.

A propósito, acesse e leia comentário deste blog sobre esse fato:

http://zip.net/bntKst

Não há como negar, que a Polícia eventualmente comete excessos.

Porém, essa não é a regra geral.

Todavia, no Brasil está se cristalizando a imagem, de que o marginal é o agredido e o policial o agressor.

O contrário do que acontece em países desenvolvidos, como é o caso recente do Reino Unido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s