Por um voto, Temer não foi salvo por deputado preso

Lauro Jardim

O voto que enterrou a denúncia do MPF contra Michel Temer foi do deputado Áureo (SD-RJ).

O próximo na fila a declarar-se pró Temer foi Celso Jacob, preso em regime semi-aberto por falsificação de documento público e dispensa de licitação.

Se qualquer um dos anteriores tivesse se declarado a favor da admissibilidade da denúncia, teria sido dele o voto decisivo.

No impeachment de Dilma Rousseff o voto decisivo foi de Bruno Araújo, e até hoje é lembrado pelo frisson que causou no plenário. Hoje o deputado ocupa o Ministério das Cidades.

Associar o enterro da denúncia a um deputado que dorme na Papuda não seria nada fácil para Michel Temer.

Escapou por pouco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s