Joesley Batista desconfia que pode ser traído por Ricardo Saud

Mônica Bergamo

O clima entre os delatores da J&F é de desconfiança. Joesley Batista e seu irmão, Wesley, acreditam que o executivo Ricardo Saud pode traí-los caso a negociação com o Ministério Público Federal para preservar benefícios que obtiveram no acordo de delação premiada naufrague.

POR DENTRO Há um temor de que Saud dê informações detalhadas ao MPF sobre as discussões internas que envolveram a colaboração do grupo.

DE LONGE A desconfiança é antiga.

Em seu depoimento à PGR (Procuradoria-Geral da República), o advogado da J&F, Francisco de Assis, relata que desde fevereiro, quando a possibilidade de colaborar com a Justiça começou a ser discutida na empresa, suspeitou que Saud “estava pronto para delatar o Joesley”. Assis alertou o chefe.

NA MESMA HORA A impressão surgiu porque, assim que começaram a falar sobre delação, Saud “já trouxe tudo pronto (…) toda a documentação, inclusive com bilhetes”, diz Assis.

LÍNGUA SOLTA Executivo de confiança de Joesley, Saud teve desentendimentos na J&F e chegou a se afastar por um período da empresa.

Ele costumava falar mal do chefe inclusive com pessoas que depois chegou a delatar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s